O tradicional e famigerado jargão da boleirada – “dar sequência” – está um pouco fora de moda pelos lados do Pici. Mas é isso mesmo, com elenco superior a 30 atletas, dois jogos por semana e disputando até 3 competições simultaneamente não dá pra fugir das mudanças.

O Blog fez um levantamento e viu que nas últimas 21 apresentações, o Fortaleza não conseguiu repetir os 11 jogadores, que iniciaram a partida por duas vezes consecutivas. O curioso é que a última vez que isso aconteceu, o time teve dois treinadores diferentes.

Em 06 de janeiro deste ano, o Fortaleza enfrentou o Sport, na Ilha do Retiro, pela Série A, e perdeu por 1×0. Nessa partida, a equipe do treinador por Marcelo Chamusca entrou em campo com: Felipe Alves, Gabriel Dias, Wanderson, Paulão e Carlinhos; Felipe, Ronald, Romarinho, João Paulo, Osvaldo e Wellington Paulista.

Na partida seguinte, 3 dias depois, já com Enderson Moreira no comando técnico, o Fortaleza começou o duelo contra o Grêmio com os mesmos 11 atletas da derrota diante do Leão da Ilha. Só que contra os gaúchos, a equipe tricolor ficou no 0x0.

De lá pra cá já foram 21 partidas por quatro competições. Em março, por exemplo, o Fortaleza chegou a disputar 3 campeonatos (um jogo do Estadual, um da Copa do Brasil e seis da Copa do Nordeste).

E para a batalha contra o Bahia, que vale uma vaga nas finais da Copa do Nordeste, o time de Enderson Moreira não será o mesmo da vitória ante o CSA. O zagueiro Wanderson, que pertence à equipe baiana e fez dupla com Marcelo Benevenuto no setor defensivo no jogo passado, está fora desse duelo, devido a uma cláusula contratual.

Por outro lado, Enderson Moreira, que estava suspenso, volta a comandar a equipe leonina da borda do campo.

📸 Leonardo Moreira/FortalezaEC