“Não existe nenhuma polêmica com o João Victor. É nosso atleta. Tem contrato com o Ceará até 2023, com renovação automática. É uma das nossas principais promessas, foi relacionado para a final do Sub-23, e deve viajar com a delegação para o jogo de volta. Daqui a pouco vai voltar para o grupo principal”, a declaração acima é do Presidente do Ceará, Robinson de Castro, ao Blog.

O mandatário alvinegro respondeu ao Blog depois de uma polêmica nas redes sociais, em perfis ligados à torcida do Ceará. Nas postagens e comentários, havia a informação de que João Victor e o empresário estavam descontentes com o clube e até uma proposta do Flamengo teria surgido.

“Não tem nada disso. Conheço quem cuida da carreira do João Victor. São pessoas decentes. Pode ter certeza, Kempes. Não tem nada de proposta. Não chegou nada. João Victor é um garoto. Certeza que já já estará jogando e muito bem. Temos total confiança nele. E queremos que volte a jogar e bem. João Victor é da nossa base, já foi convocado para a Seleção Brasileira. Vou repetir. Não tem nada de polêmica. Queremos o bem para o atleta. Não sei o porquê ele não jogou na final (sub-23 contra o Grêmio), pode ter sido uma opção tática da comissão técnica. Mas não há motivo para criar qualquer polêmica”, concluiu.

É bom lembrar que até o início deste mês, João Victor estava fazendo um trabalho separado do elenco principal (inclusive ao lado do colombiano Steven Mendoza). Por ser uma das principais promessas do clube, foi feito um planejamento para que o jovem atacante não sofresse com lesões, como aconteceu na temporada passada e neste ano.

A última vez em foi relacionado para os profissionais aconteceu na partida contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil, em junho. Pelo time Sub-20, atuou em agosto, contra o Cruzeiro. E nessa quinta-feira, ficou no banco contra o Grêmio, na final do Brasileiro de Aspirantes.

João Victor, já foi convocado duas vezes para a Seleção Brasileira Sub-17, tem contrato com o Ceará até dezembro de 2023 (com renovação automática) e multa rescisória estipulada em 1 Milhão de Euros para clubes nacionais e 10 milhões de Euros para clubes do Exterior.

📸Ascom/CearáSC
📸Pedro Chaves/FCF