Em entrevista coletiva na tarde dessa sexta-feira, na sala de imprensa do Centro de Excelência Alcides Santos, o meia Lucas Lima falou sobre o motivo de ter aceitado seguir no Fortaleza, após a passagem pelo clube em 2021.

O atual camisa 13 tricolor revelou que recebeu uma ligação do treinador Juan Pablo Vojvoda e isso o tocou profundamente.

“Ano passado, por pouco tempo, mas fiz parte dessa classificação para a Libertadores. Então, queria novamente jogar a Libertadores. Não sabia o que iria acontecer, quando acabou tudo aqui. Mas quando o treinador me ligou, tive certeza que era pra eu estar voltando. Ele demonstrou todo o carinho, todo o respeito que tinha por mim. Eu sabia que ele poderia me ajudar a voltar a jogar, a voltar a ter sequência. Então, acho que isso só tocou no meu coração mais forte ainda pra eu voltar. Estou muito feliz pela nossa campanha. Sei que ainda não ganhámos nada, mas estamos no caminho certo”, disse Lucas, que deu mais detalhes sobre o período de indefinição no final do ano passado com a não permanência no Palmeiras e o acerto com o Leão.

“Tentei manter a calma, sempre falei com meus pais. E eles sempre me passavam tranquilidade quanto a isso. Eu tive que esperar um tempo pra saber o que aconteceria. Aí, me falaram que o Palmeiras não me queria, e logo depois o treinador (Vojvoda) me ligou. Fiquei muito feliz com essa ligação, porque no fundo era o que meu coração queria também. Ter uma oportunidade de voltar, de fazer uma pré-temporada boa, desde o início. E de dar a volta por cima. De voltar a mostrar meu valor novamente. Eu tive momentos bons e ruins dentro do Palmeiras. Isso me fortaleceu ainda mais como jogador, como pessoa, como homem. Sem dúvidas sou outra pessoa, sou outro jogador. Então, estou muito feliz por esse momento. Sei que temos muito a conquistar e espero conquistar”, completou.

Lucas Lima também foi questionado sobre o trabalho dos técnicos estrangeiros no futebol brasileiro, em especial o argentino Juan Pablo Vojvoda, seu atual comandante, e o português Abel Ferreira, no Palmeiras. E o meia leonino fez questão de elogiar os dois.

“Já trabalhei com todos os tipos de treinadores. De cada um (Vojvoda e Abel Ferreira), eu pude pegar um pouco e crescer como homem, como jogador. Mas foi com os dois com quem trabalhei. Então, só tenho a agradecer a eles, porque eu aprendi muito com eles nesses anos”, concluiu.

Lucas Lima deve jogar neste sábado, às 17h45, na Arena Castelão, onde o Fortaleza enfrenta o CRB, pela última rodada da Fase de Grupos da Copa do Nordeste. O time tricolor é o líder do Grupo A e precisa de uma vitória simples para garantir a 1ª colocação e ainda decidir em casa no duelo único das quartas de final.

📸Aurélio Alves/O Povo
📸César Greco/Ag. Palmeiras