Foto: Mateus Lotif/Fortaleza EC

O Presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, revelou nesta quinta-feira, 06, que queria muito poder realizar treino aberto ao torcedor no Centro de Excelência Alcides Santos, no Pici, onde fica a sede do clube.

O mandatário tricolor, contudo, afirmou que o receio é de uma briga entre as 2 principais torcidas organizadas do clube: JGT e TUF.

Entenda o Caso

TUF e JGT são rivais e causaram uma grande confusão no último dia 5 de março, durante o Clássico-Rei pela Copa do Nordeste em que o Ceará venceu o Fortaleza por 2×0, na Arena Castelão.

Foi necessário a intervenção da Polícia Militar para impedir uma briga ainda maior entre integrantes das 2 organizadas. Os PMs precisaram fazer um cordão de isolamento para separar as torcidas, apesar de ser no próprio setor dos tricolores.

O Fortaleza chegou a soltar uma nota de repúdio condenando as brigas e garantiu, àquela época, suspendeu a venda de ingressos para as 2 uniformizadas e ainda ajudaria a Polícia a identificar os vândalos e baderneiros.

Hoje a derrota mais dolorida aconteceu na arquibancada. Ninguém fica feliz após uma derrota, sobretudo em clássico. Mas se perder ou ganhar dentro de campo faz parte do esporte, as cenas de selvageria que vimos na nossa arquibancada não têm lugar no Futebol. Na própria Arena Castelão, o Fortaleza ajudou a identificar alguns dos vândalos que praticaram os atos de violência. Estes indivíduos foram imediatamente presos. O Clube também suspendeu, de imediato, a venda de ingressos para os próximos jogos nas sedes das duas torcidas que promoveram o conflito. E anunciou ainda que possíveis sócios envolvidos neste episódio serão expulsos definitivamente do programa”, dizia um trecho da nota.