Parece uma coisa, quando o Vina não joga bem, o Ceará sente e não rende o esperado. Assim como o contrário, quando o camisa 29 tá voando, o Vovô sobra em campo. Foi assim em várias partidas neste Campeonato Brasileiro.

E nesta quarta-feira, diante do Corinthians, na Neo Quimica Arena, novamente a “Vinadependência” voltou a surgir. Com erros de passes e lançamentos (uma de suas ótimas características) e sem finalizar, Vina não correspondeu e o time de Guto Ferreira levou uma virada em menos de dez minutos.

O gol de Fabinho, de cabeça, logo aos 16min, após cobrança de escanteio, deu um alerta de que a noite em São Paulo poderia ser de alegria, mas em sete minutos tudo mudou. Após um pênalti polêmico e com a ajuda do VAR, o Corinthians empatou com Fábio Santos e pouco tempo depois virou com Léo Natel em falhas de marcação de Alisson e Luiz Otávio.

O que se esperava, então, era um Ceará pra cima, afinal estava perdendo e precisava pelo menos empatar para nutrir esperança do sonho da Libertadores. Mas o que se viu foi um Alvinegro com muita raça, muita vontade, mas enfrentando muitas dificuldades, inclusive técnicas, e sem o seu principal jogador fazendo a diferença.

Na segunda etapa, uma bola na trave de Fabinho, talvez, tenha sido o único suspiro, por outro lado, Richard fez pelo menos 3 grandes defesas e salvou o Ceará de um placar elástico.

Agora, é sacudir a poeira, rever os erros e tentar recuperar os pontos diante do São Paulo, próxima semana, dia 10, no Morumbi, às 21h. Com os mesmos 45 pontos, mas agora em 12º lugar, o Ceará precisa da vitória se realmente quiser sonhar ainda com o G8 da Libertadores.

📸 Felipe Santos / CearaSC