O vídeo divulgado pelo jornalista Venê Casagrande, em que o presidente da CBF, Rogério Caboclo, participa de uma reunião com dirigentes dos clubes das Séries A e B do Brasileiro, e diz que se o futebol parar todos estarão fodidos, causou grande impacto no meio. (veja o vídeo abaixo).

Na reunião, Caboclo ainda afirma que a Rede Globo não quer que o futebol pare e, se isso acontecer, não sabe quando voltará.

“Eu não abrirei mão, a não ser sob doutorado dos senhores, de jogar as competições nacionais, o que repercutirá nas internacionais e incorporará as estaduais. Então, por gentileza, vamos pensar agora: nós podemos parar o futebol? A Rede Globo não quer. Eu estou assegurando que não. Ninguém quer, seus patrocinadores não querem. E, se parar, sabe quando nós temos a segurança de dizer que a gente pode voltar? Nunca. No dia em que o governador do Mauricio disser que pode. No dia em que o prefeito de São Nunca disser que pode. Eu não vou estar à mercê de nenhum deles. Eu vou mandar no futebol brasileiro e vou determinar que vai ter competição. Porque vocês estão fodidos se não tiver. Eu assumo o ônus por todos vocês”, disse Rogério Caboclo.

Em nota, a Rede Globo, que é detentora dos direitos de transmissão das Séries A e B do Brasileiro, da Copa do Brasil, e ainda do Campeonato Paulista, se esquivou. Optou apenas em dizer que segue respeitando as orientações das autoridades.

“Como vem fazendo desde o início da pandemia há mais de um ano, a Globo segue respeitando as orientações dadas pelas autoridades competentes e acompanhando as decisões dos organizadores das competições. Entendemos que o momento é de cautela, e que a prioridade é a segurança de todos. Vamos seguir e respeitar todos os protocolos que forem definidos e decididos pelas entidades.”

No meio disso tudo, o futebol cearense está num fogo cruzado. O Campeonato Estadual está paralisado, devido ao decreto do governo do estado. A Copa do Nordeste com Ceará e Fortaleza participando segue normalmente. Enquanto o jogo do Ferroviário contra o Porto Velho/RO pela Copa do Brasil já foi remarcado 4 vezes e deve ser novamente adiado.

A partida do Peixe foi agendada para o dia 17, em Porto Velho. Depois foi transferida para Goiânia. Em seguida, alterada para o dia 18, depois proibida de ser realizada em Goiás. A CBF, então, levou a partida para Volta Redonda/RJ e marcou para o dia 25. Mas o prefeito da cidade fluminense informou que não irá receber o duelo.

Para completar, os outros 5 clubes, que disputam o Estadual, Icasa, Caucaia, Atlético, Pacajus e Crato esperam alguma luz para seguirem em frente.

O Icasa já liberou seu elenco, inclusive o treinador Washington Luiz já se despediu do clube, assim como os principais jogadores. O Caucaia também fez o mesmo.

No último fim de semana, a Presidente do Atlético, Maria Vieira, fez um apelo dramático em seus perfis nas redes sociais e cobrou das autoridades alguma resposta para resolver esse impasse.

O Decreto de Lockdown proíbe a realização do Campeonato Cearense até o dia 28 de março. Mas deve ser estendido até o dia 4 de abril, quando acaba a Semana Santa. Uma das revoltas dos dirigentes dos clubes é justamente pelo Estadual não ser permitido e as competições nacionais e regionais serem realizadas normalmente.

Vale lembrar ainda que os campeonatos de base também estão proibidos. A Federação Cearense de Futebol havia programado em seu calendário o Estadual Feminino Sub-18 e o Estadual Masculino Sub-17 para começarem agora em março e o Estadual Sub-20 em Abril.

É acreditar que as autoridades possam entrar em um acordo e o futebol cearense consiga voltar a ser viável para todos. Só quem perde com tudo isso é quem vive do futebol.

📸 Lance/ Bernardo Cruz