A badalada regra de limitar o número de técnicos no Campeonato Brasileiro vai passar a valer para esta temporada 2021. O anúncio aconteceu nesta quarta-feira, 25, pela CBF, que rege a competição e há três anos tentava implementar.

No entanto, a nova lei só foi aprovada após uma votação entre os representantes dos 20 clubes da Série A. E o pleito foi apertado: 11 a favor e 9 contra.

Ceará e Fortaleza votaram contra. Os dois times cearenses foram seguidos por Athletico, Atlético/GO, Bahia, Cuiabá, Flamengo, Grêmio e Juventude/RS.

O clube começará o Brasileirão com um técnico inscrito e, caso demita este treinador, poderá inscrever apenas mais um técnico. Em caso de segunda demissão, o profissional substituto tem que estar trabalhando no clube há pelo menos seis meses. Em caso de pedido de demissão por parte do treinador, o clube não sofrerá limitação para inscrever um novo técnico.

O técnico, uma vez inscrito no Brasileirão por um clube, só poderá se demitir uma vez, caso queira treinar outra equipe que dispute a competição. Se pedir demissão novamente, ele não poderá ser inscrito por outro time. Se for demitido pelo clube, o técnico não sofrerá nenhum tipo de limitação quanto à sua contratação por um novo time.

Atualmente, o time do Ceará é comandado por Guto Ferreira, que comandou o clube alvinegro durante toda Série A de 2020. Enquanto, o Fortaleza é treinado por Enderson Moreira, que foi o 3º técnico do Leão na temporada passada.

📸 Samuel Andrade/Futebolês

📸 José Leomar/SVM