O novo treinador do Ceará, Tiago Nunes, chegou, teve um longa conversa com o elenco, comandou um treino e depois foi apresentado de forma oficial. Em seguida, ao lado do presidente Robinson de Castro, do executivo, Jorge Macedo, e do diretor de futebol, Eduardo Arruda, o técnico alvinegro participou por cerca de 40 minutos da entrevista coletiva.

Abaixo, alguns trechos da respostas de Tiago Nunes.

Vina

é um atleta reconhecidamente de alta capacidade técnica e de resolver o jogo. Os números dele neste ano mostram que é um dos jogadores, que mais tem capacidade de participar de momentos decisivos, sejam com assistências ou gols. Este tipo de atleta precisa estar sempre sendo potencializado, jogando em setores do campo que podem dificultar a vida do adversário. Este é o papel do treinador, colaborar neste sentido. Mas tem a parcela que é do próprio atleta.

Guto Ferreira

Temos um grupo de atletas que foi um dos principais motivos de eu ter aceitado esse convite. É muito competitivo e de muita qualidade. E nesse momento tenho a certeza de que podemos colher bons frutos, herdados de um grande trabalho deixado pelo Guto, a quem agradeço publicamente pelo trabalho feito e o legado que fica. Esperamos manter de maneira equilibrada e dar a contribuição necessária para que o Ceará possa seguir crescendo e buscando seus objetivos dentro da competição.

Contratações

Como qualquer treinador, a gente sempre quer mais. O problema é fazer o “homem” (Robinson de Castro) abrir a carteira. O grupo é competente, é competitivo, mas se houver a possibilidade de agregarmos mais qualidade ao grupo, sem dúvidas. Vamos ver as possibilidades, não é contratar por contratar. É contratar jogadores que venham para acrescentar qualidade, aumentar a disputar interna por posições e vamos discutir isso nos próximos dias.

Trabalhos

Quando a expectativa é baixa, às vezes o pouco é muito. No Athletico, foram 5 finais e 4 títulos. A busca por crescimento é a maior semelhança com Ceará. Mesmo com insucesso com Corinthians e Grêmio, disputei finais. É tão difícil chegar a uma final. No Grêmio, em 74 dias, tivemos o título do Gauchão, da Recopa Gaúcha, classificação em 1° lugar na Sul-Americana, classificação às oitavas da Copa do Brasil e mais de 20 casos de Covid. Tenho fome de desafios, sou movido à busca por crescimento. Eu me senti muito bem acolhido. Quando isso ocorre, você dá o coração, dá a alma. É isso que eu quero no novo clube.

Objetivos

A instituição está sempre acima de qualquer profissional, e estou honrado em estar aqui neste momento. Me sinto pequeno em relação ao Ceará. Venho aqui, humildemente, para tentar dar o máximo de contribuição possível. Vamos tentar manter essa boa campanha, a tabela e os números mostram. Vamos tentar alcançar os objetivos e venho dar continuidade, colaborar com os atletas, os clubes, e fazer parte dessa engrenagem. Venho para ser mais um agente transformador nesse clube que está crescendo, e o principal desafio, sim, é tentar melhorar a campanha que foi feita no ano passado, mantendo o Ceará nessa crescente.

Yony

Yony eu conheci jogando a Sul-Americana em 2018, quando ele teve atuação destacada. Depois, no Fluminense. Trabalhei com ele rápido no Corinthians. Comigo teve ótima postura profissional. A gente tem que dar oportunidade. Acredito muito na meritocracia, que é o próprio atleta que se escala. No primeiro treino de hoje, eles se dedicaram muito. Quem se dedicar vai ter oportunidade. Se ele for esse jogador, vai ter oportunidade. Se não for, não terá.

Tiago Nunes também foi questionado por mim (última pergunta a partir de 43:40) sobre o atacante Steven Mendoza e o centroavante Jael. Confira a entrevista coletiva na íntegra no vídeo abaixo:

📸 Felipe Santos/CearáSC