A expectativa para uma inédita sequência de 3 vitórias consecutivas e o tão aguardado triunfo fora de casa não aconteceram na Arena da Baixada. O Ceará não conseguir repetir as boas atuações das 2 últimas rodadas, viu a zaga reserva vacilar e saiu de campo derrotado para o Athletico por 2×1.

As ausências de Messias e Luiz Otávio foram decisivas para o revés, que teve nos defensores substitutos Gabriel Lacerda e Klauss uma parcela, principalmente no 2º gol, quando nem sequer subiram para impedir a cabeçada de Pedro Henrique.

Com Rick e Mendoza no ataque, e um meio formado por Fabinho, Sobral, Marlon e Vina, o time alvinegro fez uma partida bem pragmática no 1º tempo. Levou o gol em um contra-ataque estranho e pouco produziu para assustar o goleiro Santos.

Na etapa complementar, a equipe cearense voltou com outra postura. Marcando em cima, voltando na marcação e com intensidade, o gol de empate não demorou mais do que 7 minutos. Aliás, nesse curto espaço de tempo, o ataque alvinegro foi efetivo. Mendoza chutou, Santos deu rebote e Rick tocou para o fundo das redes.

A partir daí, o Athletico pareceu sentir a igualdade e o Ceará cresceu em campo, porém, quando estava melhor, surgiu o gol dos paranaenses, após cobrança de escanteio, numa falha incrível do setor defensivo, que ficou parado vendo o zagueiro do Furacão cabecear e ainda contar com o desvio em Gabriel Lacerda.

Para piorar, Fernando Sobral fez uma falta dura no adversário e levou o amarelo. Mas o VAR chamou o árbitro, que foi conferir o lance, anulou a advertência e deu o vermelho para o camisa 8 do Vovô. Com 1 a menos em campo, Tiago Nunes ainda colocou em campo, Cléber e Yony González, mas o time não conseguiu a igualdade.

Agora, é se recompor, descansar para enfrentar o Sport, domingo que vem, às 19h, na Arena Castelão. Não pode nem pensar em tropeçar, se o objetivo for mesmo uma vaga na Copa Sul-Americana. Apesar de não ter Sobral, pelo menos o time terá o retorno de Jael, Messias e Luiz Otávio.

📸Fausto Filho/CearáSC