A ideia era vencer o Palmeiras a qualquer custo. Mesmo que fosse sem apresentar um bom futebol, mesmo que fosse no sufoco, mesmo que fosse com um placar magro. O velho ditado de que “jogo decisivo não se joga, se ganha” foi levado ao pé da letra pelo Fortaleza.

A vitória por 1×0 em cima do Palmeiras, que maltratou os corações tricolores, inclusive levou o ala Pikachu a ter uma queda de pressão, após o gol anulado do time alviverde, foi imprescindível para o Fortaleza virar a página do Clássico-Rei, voltar a vencer, fazer as pazes com a torcida e provar que tem condições de terminar entre os 4 melhores do Brasileirão.

E foi um jogo que nem parecia que seria tão difícil. O gol de Robson aos 38min do 1º tempo, talvez, foi a única boa oportunidade e o único lance de perigo na etapa inicial. O Fortaleza mostrava uma correria incrível, muita determinação, mas faltava aquela técnica mais apurada. Claro, que o atual campeão e finalista da Libertadores, jogando com os titulares, dificultou muito a vida leonina. Porém, mostrava pouca qualidade.

Na segunda etapa, o panorama também não teve grandes mudanças e até os 35 minutos, só para se ter uma ideia, Boeck praticamente não havia feito uma defesa difícil. O jogo caminhava para a vitória sem sustos leonina, quando aos 44min, Patrick de Paula chutou não muito forte, de fora da área, a bola passou por entre as pernas do zagueiro Gustavo Gómez e Boeck levou um frango.

A síndrome de levar novamente gol no final da partida deixou os tricolores sem acreditar. O desespero foi notório em todos no estádio, inclusive com o ala Pikachu, que havia sido substituído, passando mal no banco de reservas, ao ter uma queda de pressão e precisar sair de ambulância.

Porém, o VAR detectou impedimento de Gómez, e pareceu que o Fortaleza havia feito o segundo gol. Uma festa incrível tricolor no Castelão. Só que mesmo assim, no minuto seguinte, Wesley ficou sozinho, dentro da área, cara a cara com Marcelo Boeck, que se agigantou e fez uma grande defesa salvando o que seria o empate.

Pra completar, no último lance da partida, o goleiro leonino saiu errado, a bola foi na cabeça de Patrick de Paula, que cabeceou pro gol vazio, mas Tinga estava lá pra salvar o gol do empate e enfim decretar a vitória tricolor. Um sufoco que só acabou com o apito do árbitro. Depois, uma festa impressionante nas arquibancadas com os jogadores comemorando muito a vitória. Ah e o Pikachu já recuperado e abraçado pela Toinha.

Esse triunfo levou o Fortaleza aos 52 pontos e neste domingo torce por um tropeço do Corinthians para permanecer no G4 e terminar a rodada na 4ª posição. O sonho da Libertadores voltou e parece que agora vai seguir firme para ser concretizado.

📸João Moura/Arena Castelão