A negociação do Barcelona com o Basel pela contratação do atacante Arthur Cabral está muito próxima de acontecer. Segundo o jornal espanhol “Sport”, o centroavante brasileiro está na lista como um dos principais reforços do clube catalão já a partir de janeiro de 2022.

As informações dão conta de que o Presidente do Barcelona, Juan Laporta, já iniciou as conversas com os dirigentes suíços para acertar a transferência. Caso seja concretizada a negociação, haverá uma nova rusga entre Ceará e Palmeiras, que, juntos, alegam ter 30% do valor de uma futura venda com o lucro do Basel.

Arhtur foi revelado pelo Ceará, onde chegou à cidade Vozão em 2015 e permaneceu no clube até o final de 2018. Foram 81 jogos e 29 gols com a camisa alvinegra. Em 2019, o Palmeiras comprou 50% dos direitos do atacante por R$ 5,5 milhões com contrato até dezembro de 2023.

No Verdão, Arthur só jogou em seis partidas e só fez 1 gol. Ainda em 2019, foi emprestado ao Basel, da Suíça, mas com uma cláusula de que se fizesse 12 gols na temporada, o clube europeu teria de adquirir em definitivo 70% dos direitos do atleta por 4,4 milhões de Euros (cerca de R$ 26 milhões na cotação da época). Foi o que aconteceu. E em 2020, o Basel o contratou e pagou. Ceará e Palmeiras receberam R$ 13 milhões.

Porém, o imbróglio começa aí. O Palmeiras afirma que se o Basel concretizar uma venda lucrativa (receber o valor maior do que o que pagou), terá direito a receber 30%. Por outro lado, o Ceará garante que 15% (metade do valor) também é direito seu. O clube paulista nega.

Em entrevista ao canal Vozão Cast, no Youtube, o diretor jurídico do Ceará, Anacleto Figueiredo Neto, garantiu que o Ceará não será prejudicado, que o Palmeiras usa de uma artimanha, mas que acredita no bom relacionamento entre os dois clubes para que não seja necessário usar a esfera judicial e assim receber o que lhe é justo. Confira no vídeo abaixo:

📸Ascom/CearaSC
📸Ascom/SEPalmeiras
🎥Reprodução/Youtube