O zagueiro Lucas Ribeiro pode ser anunciado como o próximo reforço do Ceará. O defensor, que completa 23 anos nessa quarta-feira, estava emprestado ao Internacional, desde 2020, mas pertence ao Hoffenheim, da Alemanha.

Lucas, que é de Salvador, começou a carreira no Vitória. Logo cedo se destacou e impressionou os alemães. Convocado para a Seleção Brasileira Sub-20 ainda com 18 anos, os dirigentes do Hoffenheim foram até o Chile, em janeiro de 2019, onde o defensor estava com a equipe nacional disputando o Sul-Americano, só para avaliar a condição física dele.

Aprovado com louvor, acabou vendido pouco tempo depois. Na época, os baianos informaram que a negociação havia sido de R$ 16 milhões, a maior da história do futebol nordestino.

No Hoffenheim, contudo, Lucas não se adaptou e jogou apenas 3 partidas em pouco mais de 15 meses. Com o fim da temporada 2019/2020 na Europa, em julho de 2020, o Internacional, a pedido do técnico Eduardo Coudet, contratou o zagueiro por empréstimo até o final de 2021.

“É um jogador de característica que eu gosto. Central de boa altura. No mercado, dentro das possibilidades, tratamos de aproveitá-las. Não temos a possibilidade econômica de fazer qualquer contratação. Mas de buscar característica e que tenha um bom nível para que possa nos ajudar“, disse o treinador argentino, a época no colorado.

Só que 3 meses depois, Coudet deixou o clube gaúcho, foi para o Celta/ESP, e Lucas não emplacou. O zagueiro só teve oportunidade com a lesão do companheiro Moledo. Porém, depois da chegada de Diego Aguirre, voltou a perder espaço e a titularidade para Bruno Méndez. Foram apenas 19 jogos em toda a temporada 2021.

Na semana passada, Lucas foi pretendido pelo São Paulo, a negociação estava praticamente fechada, quando parte da torcida tricolor foi às redes sociais protestar contra a possível chegada do defensor.

A revolta dos são-paulinos se deve a um processo em que Lucas responde. Em setembro de 2018, com 19 anos, o zagueiro divulgou um vídeo nos stories do Instagram, depois apagou, em que um amigo tem relações sexuais com uma menina.

Venho a público me retratar pelo vídeo postado de maneira equivocada na manhã desta segunda-feira (17), e que envolve não só uma particularidade minha, como de outras duas pessoas. Lamento demais pelo ocorrido e reforço os pedidos de desculpas a mulher que aparece nas imagens, aos familiares dela, a todas as torcedoras do Esporte Clube Vitória e aos demais Rubro-Negros”, escreveu a época Lucas, mas depois apagou.

A família da menina, que na época tinha apenas 14 anos, registrou um boletim de ocorrência no mesmo período e em março de 2019 iniciou um processo cível. O pedido de indenização era de R$ 1 milhão, devido à exposição, já que o ato sexual foi consentido.

O objetivo da família era recomeçar a vida em outra cidade, já que as consequências do vazamento trouxeram muito abalo para a menina. “Todo mundo que falava com ela, lembrava do vídeo. Citava o vídeo. Ela ficou muito abalada, acabou com a vida dela”, disse o advogado Wang Iu Bastos Aelo em reportagem do UOL Esporte.

Em 2019, o processo seguia para um acordo, mas após Lucas trocar de advogado o acordo não foi cumprido. Já na Alemanha, o processo se tornou difícil de prosseguir, porque a família da menina não possuía recursos para mandar um advogado à Europa e a Justiça não conseguia intimar o atleta. A última intimação foi enviada para o endereço do empresário do jogador no Brasil, em agosto de 2019, já que a família não sabia o endereço do jogador, segundo a reportagem do UOL.

Lucas Ribeiro não joga desde julho, quando foi titular na derrota do Internacional para o São Paulo, por 2×0, no Beira-Rio, pelo Brasileirão. O defensor também atuou no empate contra o Ceará, por 1×1, em Porto Alegre, em que o meia-atacante Lima marcou um gol de falta.

📸Divulgação/HoffenheimEV
📸Divulgação/SCInternacional
📸Divulgação/ECVitória