A CBF havia recebido na semana passada um ofício do Fortaleza explanando os erros do árbitro Bruno Arleu Araújo (FIFA/RJ), no empate por 1×1 contra o Goiás, na quarta-feira, dia 9, no Castelão, pela 10ª Rodada do Brasileirão.

A entidade nacional analisou a partida e reconheceu o erro do árbitro no lance em que não marcou pênalti no ala Pikachu, do Fortaleza, que foi puxado pelo defensor do Goiás. Na ocasião, o VAR ainda chamou Bruno Araújo para rever a imagem no vídeo, mas mesmo assim ele não alterou a decisão.

Com isso, a Comissão de Arbitragem da CBF afastou o árbitro Bruno Arleu Araújo para o recém-criado Programa de Assistência ao Desempenho de Arbitragem (PADA), onde vai ser avaliado o motivo da interpretação equivocada do juiz.

“Estamos conscientes do alto investimos que os clubes realizam em suas temporadas anuais. Dentro deste principio e ao iniciar esse projeto para a arbitragem brasileira, estamos trabalhando incansavelmente para dar aos clubes a melhor prestação de trabalho possível, corrigindo os erros e fortalecendo os acertos’, destaca um dos trechos do documento assinado pelo Presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Wilson Seneme.

O Fortaleza volta a campo na próxima quinta-feira, quando vai enfrentar o Avaí, às 19h, na Ressacada, em Florianópolis, pela 12ª Rodada do Brasileirão.