Fotos: Leonardo Moreira/Fortaleza EC

Matérias do Jornal O Povo e do Diário do Nordeste sobre o atacante do Fortaleza, Renato Kayzer, informam que o Camisa 79 do Tricolor tem um comportamento inadequado a ponto de irritar a comissão técnica e jogadores do próprio elenco leonino.

Um dos motivos do comportamento de Kayzer seria a insatisfação com a reserva. Contratação mais cara da história do futebol cearense (R$ 6 milhões), o atacante só atuou em 8 partidas como titular, das 23 em que esteve em campo com a camisa tricolor.

Kayzer, inclusive, não deve nem mais continuar no Fortaleza. A relação entre atleta e clube chegou ao estopim na última quarta-feira, no treino apronto em Florianópolis, onde o atacante abandonou o treino alegando desconforto muscular, mas não procurou os médicos do clube para relatar o incômodo.

Na derrota diante do Avaí, por 3×2, um dia depois desse desconforto, na quinta-feira, Kayzer ficou no banco de reservas e viu o técnico Juan Pablo Vojvoda utilizar Silvio Romero e até mesmo Igor Torres no segundo tempo, deixando o camisa 79 fora da partida.

Esse imbróglio todo deixa algumas lacunas e expõe alguns fatores que, junto com o desempenho em campo, talvez, ajudem a entender o motivo de o Fortaleza estar numa situação tão ruim no Campeonato Brasileiro.

Como é que um jogador alega ter um desconforto muscular (creio que alguém do departamento médico depois foi avaliá-lo), é liberado, vai pro jogo, passa no teste do aquecimento, vai pra reserva e mesmo assim é preterido pelo 3º reserva apesar de o time precisar fazer gol?

Se não havia mais o desejo de contar com o atleta, qual o motivo de levá-lo para o jogo e expor o técnico a ser chamado de incompetente por não utilizar o atacante?

Kayzer vem do Athletico (um dos grandes do futebol brasileiro), mas passou pela Chapecoense, Atlético/GO, Ponte Preta e outros times. Ninguém detectou esse comportamento do jogador por lá?

Se detectou, o que fez para impedir que acontecesse? Se tentou impedir, por que deixou chegar nessa situação a ponto de irritar elenco, comissão técnica e diretoria? Se não detectou, como o clube faz um investimento financeiro enorme e não há um atleta, um membro da comissão técnica, um funcionário do clube, um diretor para conversar com o jogador para não chegar a esse ponto de jogar fora esse investimento?

Foto: Reprodução TV

Quem o Kayzer pensa que é para achar que não pode ficar no banco de reservas? Por que deixá-lo no banco de reservas? Ele é ruim? O Fortaleza vai conseguir recuperar o investimento feito? Quem vai ganhar com a saída de jogador: o clube ou o jogador? Ainda mais depois de toda essa exposição de racha entre atleta, comissão técnica e diretoria. E pelo jeito, segundo as 2 reportagens, até atletas não gostaram das atitudes do companheiro.

Por que deixar vazar esse imbróglio todo a menos de uma semana do 1º Clássico-Rei decisivo pelas Oitavas de Final da Copa do Brasil?

A situação do Kayzer lembra demais a de outros 2 jogadores, bastante queridos pela torcida: o goleiro Felipe Alves e o zagueiro Juan Quintero. Ambos foram deixados de lado pela comissão técnica e a diretoria apoiou a decisão de Vojvoda.

O Fortaleza volta a campo no próximo domingo, às 18h, na Arena Castelão, para enfrentar o América/MG, pela 13ª Rodada do Brasileirão.