Foto: Mateus Lotif / Fortaleza EC

Não foi uma partida brilhante, mas também não foi um jogo ruim. Fortaleza 1×1 Estudiantes mostrou um duelo equilibrado, com ótimas chances para ambos os lados, mas sem aquela intensidade para vencer e abrir vantagem para o duelo de volta quinta-feira que vem em La Plata.

Os argentinos claramente foram ao Castelão para empatar. Isso ficou claro na escalação com apenas 1 atacante de ofício, o centroavante Boseli. Os Tricolores, obviamente, desde o início entraram em campo para ganhar, mas não tiveram competência nem inteligência para superar o adversário.

Pikachu, muito bem marcado, pouco produziu. Lucas Lima não teve a mesma desenvoltura (que palavra!) para armar as jogadas e dar aquele passe com qualidade. Moisés, que protagonizou o lance mais bonito da partida ao passar por 3 marcadores e mais o goleiro, bateu na bola correu pro abraço, mas o defensor tirou quase de cima da linha, poderia ter tentado outras jogadas, pedido a ajuda de alguém no setor, enfim, feito algo para dar continuidade ao seu estilo de 1 contra 1, mas que sempre eram 1 contra 2 ou 3.

Landazuri, novamente, sentiu a pressão em casa de um jogo decisivo. O jovem equatoriano tem fôlego, disposição, raça, mas tecnicamente deixa muito a desejar e comprometeu o setor direito leonino. Seria hora de testar Felipe no setor. No início da carreira o volante começou na lateral, com a ausência de Tinga e de Ceballos, poderia ter sido uma alternativa para fomentar o lado do campo.

Romero é outro que tem uma enorme categoria e facilidade para finalizar. Fez 2 gols (1 anulado corretamente), mas se a bola não chegar a ele, o argentino não consegue conduzir e não tem o faro para dar assistência, sair da área ou cair pelos lados. Faltou alguém para servi-lo mais vezes.

Por outro lado, nada está perdido. Apesar da invencibilidade do Estudantes em casa, os argentinos mostraram que têm deficiências, fragilidades e não será nada de outro mundo o Fortaleza chegar lá e conquistar a classificação. Porém, contudo, todavia, precisa jogar muito mais do que vem atuando. Potencial existe, mas falta a intensidade e alguns jogadores voltarem a mostrar brilho.