Fotos: Mateus Lotif/Fortaleza EC

Quando o sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil apontou o duelo entre Ceará e Fortaleza já se imaginava que traria consequências para quem avançasse e obviamente para quem fosse eliminado.

No caso do Fortaleza, que conquistou a vaga com uma vitória e uma derrota e o placar agregado de 2×1, sem dúvida a classificação deve levar o time a acreditar que é possível, sim, se reerguer no Campeonato Brasileiro, onde está em último lugar.

Não bastasse a premiação de R$ 3,9 milhões e outra vez ficar entre os 8 melhores da competição nacional, a rivalidade entre tricolores e alvinegros é algo que norteia torcedores e dirigentes e claramente tem reflexo no campo.

A segunda classificação consecutiva em cima do Ceará (em 2021 eliminou o rival na 3ª Fase da Copa do Brasil), impele ao Fortaleza acreditar não apenas que o trabalho e planejamento da temporada têm dado certo e colhido frutos, como instiga o elenco leonino a enxergar que o sucesso no mata-mata pode ser levado para a competição de pontos corridos.

Mesmo elenco, mesma comissão técnica, mesmo estádio e mesma torcida fica difícil imaginar em um time que chega às oitavas de final da Libertadores e às quartas de final da Copa do Brasil não seja capaz de sair da Zona de Rebaixamento do Brasileirão.

Apesar de que a questão técnica tem refletido nesse martírio leonino na Série A, faltam peças de reposição, banco tricolor não corresponde mais e o lado mental claramente dava sinais de desgaste, porém, a chegada de novos reforços (Galhardo, Sasha, Otero, Britez e Fabiano) e essa classificação em cima do Ceará podem ajudar no campo e no psicológico.

Aguardemos pelo próximo desafio, domingo, 18h, em Goiânia, contra o Atlético/GO, pela antepenúltima rodada do 1º Turno.