Foto: Red Bull Bragantino/Twitter

Nem as estreias de Brítez, Sasha e Galhardo foram suficientes para o Fortaleza conquistar a 2ª vitória consecutiva no Brasileirão. Diante do Red Bull Bragantino, fora de casa, na noite dessa quarta-feira, o time tricolor voltou a fazer uma partida ruim e não teve competência e nem capacidade para levar pelo menos 1 ponto para casa.

Com algumas mudanças em relação à vitória contra o Atlético/GO, Boeck (Fernando Miguel lesionado), Brítez, Jussa (Hércules lesionado), Vargas (Lucas Lima no banco) e Moisés (Romarinho no banco), o Fortaleza não fez um 1º tempo ruim, mas também não fez uma grande partida.

Sem agressividade e sem sintonia, o tricolor parecia ser um time disperso, apesar de se defender bem, mas sem produzir uma grande chance. A famigerada intensidade também nem sequer apareceu. Pra piorar, levou um gol com bola desviada, que matou o goleiro Boeck.

Para o 2º tempo, até que o time voltou bem dos vestiários e logo conseguiu o empate, aos 10min, com o estreante zagueiro Brítez, que foi um dos poucos que conseguiu atuar bem. Já Galhardo, que entrou ainda na etapa inicial no lugar de Vargas (machucado), e Sasha, que entrou no intervalo na vaga de Ronald (que já tinha amarelo e estava nervoso), tiveram atuações bem discretas.

O curioso é que depois de empatar o Fortaleza não teve capacidade para buscar a virada. Parecia faltar qualidade e claramente o condicionamento físico caiu. O gol do Red Bull parecia ser questão de tempo, mas o tricolor foi suportando bem a pressão, sem agredir.

Quando tudo se encaminhava para o 1×1, numa jogada sem marcação pela direita, Hurtado, livre, cruzou rasteiro, a bola passou entre Boeck e Titi na pequena área, e Gabriel Novaes só escorou o pé para fazer o gol da vitória e confirmar a 10º derrota leonina em 18 jogos no Brasileirão.

O temor do rebaixamento já não é nem preocupante, é desesperador.