10 anos depois, um time do futebol cearense volta a ter problemas com contagem de cartão amarelo e deve perder pontos por escalar um jogador irregular.

Pela primeira rodada da 2ª Fase do Campeonato Cearense, nesta quarta-feira, 10, o Caucaia venceu o Pacajus, por 4×2 e quebrou a invencibilidade do adversário, que ainda não havia perdido na competição.

No entanto, a Raposa Metropolitana escalou um jogador de forma irregular. O atacante Hugo Freitas não cumpriu suspensão automática pela terceiro cartão amarelo e mesmo assim atuou diante do Pacajus.

O camisa 7 do Caucaia havia levado advertências nas partidas contra o próprio Pacajus, na abertura do campeonato, dia 10 de fevereiro, depois passou em branco nas partidas contra Crato, Atlético, Guarany e Barbalha, e levou o 2º amarelo no jogo diante do Icasa, pela 6ª Rodada, dia 04 de março. Por fim, o 3º amarelo foi recebido no duelo contra o Ferroviário, dia 07 de março.

O regulamento do Campeonato Cearense, em seu artigo 30, inciso 1º e 2º explica:

§ 1º – Ao final da Primeira Fase, o atleta que acumular cartões amarelos será anistiado, recomeçando a contagem do zero.

§ 2º – O atleta que receber o terceiro cartão amarelo na última rodada da Primeira Fase, cumprirá normalmente a suspensão na primeira rodada da Segunda Fase.

Assim, Hugo deveria ter cumprido a suspensão automática, como não cumpriu, o Caucaia deverá perder 3 pontos pela escalação do atleta.

Vale lembrar que o artigo 214 do CBJD é bastante claro:

Incluir na equipe, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente.

PENA: perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independente do resultado da partida, prova ou equivalente, e multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

O TJDF/CE já recebeu a denúncia e em breve deverá se pronunciar.

📸 Comunicação/CaucaiaEC