Líder do Grupo A, o Ceará enfrenta o Altos/PI, neste sábado, às 16h, em Teresina (com transmissão da TV Jangadeiro), pela 3ª Rodada da Copa do Nordeste.

A partida vai colocar frente a frente o time cearense e o árbitro Francisco Carlos do Nascimento, mais conhecido por Chicão. Os dois possuem um histórico recheado de polêmicas e até processos.

O juiz alagoano é famoso entre os dirigentes alvinegros. A primeira polêmica aconteceu em 2011. Às vésperas da final do 1º Turno do Campeonato Cearense, Ceará e Fortaleza pediram árbitro de fora para comandar a decisão. A FCF tentou contato justamente com Chicão.

Só que o Presidente do Ceará, à época, Evandro Leitão, recebera uma informação de que Chicão poderia beneficiar o Fortaleza.  A revolta do mandatário alvinegro foi explosiva. Barrou o convite do árbitro alagoano e no dia do jogo, momentos antes da bola rolar, concedeu uma entrevista chamando os dirigentes da FCF de corja, pois tinha “certeza que estava armado para o Fortaleza conquistar o pentacampeonato cearense”.

No entanto, nada foi comprovado, mas o caso foi parar no TJDF/CE, e Evandro Leitão chegou a ser suspenso por 30 dias, por causa das declarações.

Vale lembrar que o Ceará venceu o jogo por 1×0, gol de Osvaldo (que à época jogava pelo time alvinegro) aos 42 minutos do segundo tempo e conquistou o turno. Depois, ganhou o returno e se sagrou campeão estadual. O episódio da possível escalação de Chicão para a final do turno foi tão danoso, que a relação entre Evandro Leitão e FCF ficou estremecida por vários anos depois. Em 2012, o Ceará foi bicampeão e o clube se recusou a receber a taça. A Federação, então, doou o troféu para a Associação Madre Paulina, que leiloou.

Sete meses depois, nova polêmica. Dessa vez com o então vice-presidente do Ceará, Robinson de Castro (que hoje é o atual presidente). O Vovô foi até Minas Gerais enfrentar o Atlético/MG, em Sete Lagoas, pela Série A do Brasileiro. Só que não houve como barrar, e Chicão apitou a partida.

O resultado foi de 1×1, mas a atuação do árbitro alagoano foi um desastre. Expulsou três jogadores do Ceará e ainda deu um pênalti para o Atlético, que, para muitos, inexistiu. No Twitter, Robinson de Castro chutou o balde:

O presidente Evandro Leitão também não se conteve: “Ele expulsou jogadores nossos injustamente. Só ficou faltando ele ter cobrado o pênalti que, a meu ver, não existiu. É lamentável que isso aconteça. Mas nós vamos tomar providências. Queremos agora árbitros da Fifa tanto em jogos em casa, como fora”.

Chicão levou o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e queria que Robinson de Castro provasse as acusações no Twitter. O dirigente alvinegro acabou multado em R$ 2 mil e pegou 60 dias de suspensão pela Terceira Comissão Disciplinar do STJD. O julgamento aconteceu no dia 23/01/2012.

O Ceará, por sua vez, exigiu que a CBF não escalasse mais o árbitro em jogos do time. A exigência foi atendida, pelo menos até este sábado.

Para rever os melhores momentos daquela partida Atlético/MG 1×1 Ceará, é só clicar no play do vídeo abaixo.

📸 Chicão expulsa o atacante do Ceará, que estava no banco de reservas – Crédito: Apito Nacional