O torcedor do Ceará, que deseja comprar a camisa 29 do meia Vina, não encontra para vender na loja oficial do clube pela internet. Apenas a vestimenta com o número 10.

O torcedor do Fortaleza, que deseja comprar a camisa 11 do atacante Osvaldo, não encontra para vender na loja oficial do clube. Apenas a vestimenta com o número 18.

Esse cenário, no entanto, vai mudar em breve. Os dois clubes já receberam reclamações de seus respectivos torcedores e a expectativa é que para o próximo semestre os uniformes com outros números nas costas já possam estar disponíveis tanto para alvinegros, quanto para tricolores.

“Nós entendemos o torcedor. Também temos nossas preferências. Nas nossas lojas já é possível fazer a personalização, colocando o nome e o número de acordo com a preferência do torcedor”, declarou o gerente de marketing do Ceará, João Costa.

“Recebemos essas reclamações constantemente e sabemos do potencial que podemos alcançar. Muito em breve vamos passar por um processo de reformulação de fornecedor e iremos, sim, atender esse pedido do nosso torcedor”, informou Marcel Pinheiro, diretor de Marketing do Fortaleza.

Os clubes sabem que podem explorar os direitos de imagem dos jogadores. Vina, por exemplo, tem o salário mais alto do Nordeste, é um dos astros da equipe e pode ajudar na venda das camisas com seu número 29.

O mesmo deve acontecer com o meia Pikachu. O novo reforço do Fortaleza já faz campanha em vídeos de publicidade do programa de sócio do clube leonino e com a camisa 22 é outro que pode alavancar as vendas dos uniformes.

Agora, é aguardar para o torcedor satisfaça seu desejo de consumo e o clube consiga ver as vendas crescerem.

📸 Bruno Oliveira/FortalezaEC
📸 Fausto Filho/Cearasc