Invicto, líder, melhor ataque, artilheiro e ainda jogando um futebol que está encantando a todos. As duas vitórias convincentes no Campeonato Brasileiro, a última delas com uma goleada histórica sobre o Internacional por 5×1, entusiasmaram os tricolores.

Nas redes sociais, nas ruas, em conversas nos programas e debates esportivos, quando se fala do Fortaleza é para elogiar a performance do time, que desde a chegada do técnico Juan Pablo Vojvoda não perdeu, venceu seis jogos, empatou dois e já marcou 28 gols e sofreu apenas 4.

A euforia tricolor é notória. No entanto, dirigentes e comissão técnica do Fortaleza tentam blindar ou pelo menos aquilo chegar aos atletas não os influencie para o que vem pela frente.  O próximo jogo da equipe leonina é justamente uma decisão, contra o maior rival, Ceará.

O duelo de quinta-feira, 10, no Castelão, às 19h, pela 3ª Fase da Copa do Brasil, vale não só uma vaga nas oitavas de final como ainda premia o vencedor com R$ 2,7 milhões. O empate no primeiro jogo por 1×1, deixou em aberto a disputa, porém, com os jogos do último final de semana, a produção de cada um no Brasileirão, deixou uma brecha para especular e colocar o Fortaleza como favorito.

Jogadores, dirigentes e integrantes da comissão técnica tricolor não admitem nenhum tipo de favoritismo. Pelo contrário, é rechaçada com a mais tradicional das respostas: “Clássico não existe favorito. É definido nos detalhes. Quem errar menos vence”.

E é esse discurso que Vojvoda quer colocar em prática. Não existe nenhum ganhado de véspera e o Fortaleza vai precisar jogar mais do que nos outros duelos para superar o Ceará, que chega a esse duelo em meio a uma pequena desconfiança dos alvinegros devido aos últimos resultados e por alguns jogadores não renderem o esperado.

Longe dos bastidores em Porangabuçu, os tricolores, no entanto, sabem que o elenco precisa estar completamente concentrado, assim como foi na decisão do Estadual, quando jogou pelo resultado do empate e segurou o 0x0 para levar o título invicto de campeão cearense.

Dessa vez, empate leva a decisão da vaga para os pênaltis. E ninguém quer deixar isso acontecer. O futebol encantador do Fortaleza, de jogar pra frente, de ir pra cima do adversário passará por um novo desafio. Porém, se a euforia tem de ser contida, a confiança tem de se exacerbada.

Diante do Atlético, saiu atrás do placar e mesmo assim virou a partida no segundo tempo. Contra o Ceará também começou perdendo e nem a falha do goleiro abalou a equipe que buscou o empate e por pouco não virou. E no domingo passado, impressionou com uma atuação de gala em cima do Internacional.

Dessa forma, o grande desafio vai ser equilibrar a euforia com a confiança, sem jamais se esquecer do jargão de que Clássico se decide nos detalhes.

📸 Kely Pereira/AGIF/CBF