Antes da pandemia e da popularização das redes sociais, havia algumas formas de saber se o torcedor estava satisfeito ou irritado com o time do coração. Os locais preferidos para a torcida extravasar eram o Estádio (em dia de jogos) e a sede do clube (em dia de treinos). O contato visual mesmo que distante do elenco, comissão técnica e até com a diretoria eram imprescindíveis para demonstrar o sentimento.

Agora, impedido de acompanhar os treinos e os jogos, as redes sociais se tornaram a principal válvula de escape para o torcedor mais exaltado colocar pra fora aquele grito, que está preso na garganta. Que o digam os torcedores do Ceará.

Após mais uma derrota no Brasileirão, dessa vez para o Bahia, por 2×1, na Arena Castelão, a torcida alvinegra escancarou de vez a enorme insatisfação com o time e realmente perdeu a paciência. Nas postagens do perfil oficial do Ceará (em qualquer mídia social), os comentários são duros, fortes e até certo ponto agressivos.

No Instagram, onde o clube possui 854 mil seguidores, desde a postagem da derrota para o Bahia, já são mais de 10 mil comentários. As mensagens dos torcedores evidenciam a irritação até mesmo com as postagens seguintes, que falam do próximo jogo e da viagem do time a Porto Alegre.

Nas outras redes com perfil oficial do clube, como Twitter e Facebook, apesar de um número menor de comentários, mas as mensagens também seguem o mesmo tom de aborrecimento e elegem os responsáveis pelo péssimo momento em que o time vive. Diretoria, treinador e alguns jogadores são os principais alvos.

Há ainda os perfis de torcida, que também possuem dezenas de milhares de seguidores e é onde o torcedor também coloca pra fora o descontentamento com a equipe alvinegra. São centenas de mensagens no mesmo estilo ou até pior daquelas deixadas no perfil do clube.

O elenco do Ceará, contudo, já viajou para Porto Alegre, onde no domingo, às 16h (com transmissão do Canal Premiere e da TV Globo) enfrenta o Internacional, no Beira-Rio. Antigamente, jogar fora de casa era até uma forma de fugir da pressão da torcida, só que neste momento, não dá pra fugir das redes sociais.

Por falar em pressão, enquanto o zagueiro Messias disse após a derrota para o Bahia que não existia pressão dentro do elenco, o técnico Guto Ferreira, em entrevista coletiva depois do jogo, reconheceu que há pressão, ainda mais quando não há vitória.

O Ceará (sem contar as eliminações passadas que maltrataram a torcida) está há cinco partidas sem vencer, tem 7 desfalques por COVID e não apresenta um bom futebol faz tempo. Difícil acreditar que não há pressão, se não houver, minhas sinceras desculpas ao Messias, mas há algo de muito errado.

📸 Felipe Santos/Cearasc