Dizer que Marcelo Boeck é ídolo e um dos maiores da história do Fortaleza é redundante. No entanto, claro que as falhas em dois gols do Bahia, na derrota por 4×2, nesse sábado à noite, provocam frustrações (alguns tristeza e até raiva) principalmente pelo camisa 1 tricolor ser esse gigante do clube tricolor.

Os erros aconteceram, acontecem e vão ocorrer no futuro. Boeck falhou, quando o time mais precisava da suas defesas, as mesmas que salvaram recentemente de derrotas para Cuiabá, Juventude e São Paulo (para ficar apenas nos últimos 3 jogos).

Não dá para crucificar o goleiro leonino, que, além de ser um excepcional profissional, um craque dentro de campo, já demonstrou que é torcedor do Fortaleza. O melhor é ter paciência, dar tempo ao tempo e seguir os trabalhos arduamente para não repetir as falhas e seguir salvando o time em momentos cruciais.

O momento, contudo, agora pode ser o retorno de Felipe Alves, que era titular absoluto, mas, assim como Boeck, também falhou e num Clássico-Rei, que causou enorme frustração (alguns tristeza e até raiva). Afinal, o camisa 12 tricolor é um dos melhores do futebol brasileiro.

Felipe também tem muito crédito com o torcedor leonino, e nesta mesma Série A, salvou o Fortaleza de derrotas (Grêmio, Chapecoense e Atlético/MG para ficar apenas nessas três). Assim como não precisou crucificá-lo, o goleiro foi para a reserva, viu Boeck assumir a titularidade, deu tempo ao tempo e continuou trabalhando. Agora, quem sabe, pode retornar à equipe.

Vale lembrar que o técnico Juan Pablo Vojvoda destacou na entrevista coletiva, pós jogo contra o Bahia, que as falhas acontecem e que o Fortaleza possui 3 ótimos goleiros (Max é o 3º). Além disso, o treinador leonino disse confiar no time. Por isso, é ter a famosa paciência, respeitar o profissional, o atleta, o ídolo e acreditar que tudo passa.

📸 Comunicação/FortalezaEC

📸 João Moura/Castelão News