O treinador do Ceará, Tiago Nunes, será julgado na próxima sexta-feira, 05, pela 5ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O técnico alvinegro foi incurso no artigo 258 do CBJD, devido à expulsão na partida contra o Atlético/MG, realizada no Mineirão, em 9 de outubro.

Naquele jogo, Tiago Nunes recebeu cartão vermelho do árbitro goiano, Jefferson Ferreira de Moraes, que relatou o motivo na súmula.

“Foi expulso direto por me ofender com as seguintes palavras quando o jogo se encontrava parado; “você é arbitro de serie b, pipoqueiro, vagabundo, você nunca mais vai apitar.” o mesmo demorou a se retirar de campo, repetindo várias vezes as ofensas após ser expulso, tendo que ser conduzido por membros da sua comissão para fora do campo”.

Se for condenado, Tiago Nunes pode pegar de 1 a 6 partidas de suspensão. Em entrevista coletiva, após o jogo, o comandante alvinegro deu a sua versão para o motivo da revolta que o fez receber o vermelho.

“O Ceará foi desrespeitado no Mineirão. Ele foi muito mal em todas as decisões dele e de sua equipe de arbitragem. Todas as decisões foram pró-Atlético/MG. Na dúvida sempre foi pró-Atlético. No primeiro lance, do pênalti marcado contra nós e depois anulado, foi uma vergonha. Ele não teve vergonha em marcar e mesmo voltando atrás com o VAR, criou todo um ambiente muito favorável ao time da casa. E no primeiro gol, o Geovane sofre uma falta, não temos vantagem técnica alguma no lance e o árbitro não é qualificado para avaliar se a vantagem existe, deixou o lance seguir, com a bola com o nosso zagueiro e um jogador deitado no chão. Eu disse que ele não estava qualificado para apitar a partida e me expulsou“, declarou.

O Ceará volta a campo no próximo domingo, às 20h30, na Arena Castelão, onde enfrentará o Cuiabá, pela 30ª Rodada do Brasileirão. Em 12º lugar, o Vovô tem 36 pontos e quer conquistar a 2ª vitória consecutiva, algo que ainda não aconteceu na atual edição.

📸João Moura/Arena Castelão