Na semana passada, após a partida contra o Sport, na Arena Castelão, o técnico do Ceará, Tiago Nunes, pediu sensibilidade às emissoras de TV para não colocarem jogos às 21h30 numa terça-feira. Confira abaixo a declaração do treinador.

O time do Ceará volta ao Castelão novamente numa terça-feira à noite. Dessa vez, pelo Campeonato Cearense e agora em um horário mais condizente: 20h.

A crítica justa do professor Tiago Nunes claro que é reflexo do pouco número de torcedores no Estádio. Ainda mais se a partida não for tão atrativa e principalmente se àquele fã de futebol precisar do transporte público. Ônibus, depois das 23h, em Fortaleza, na região do Castelão, é algo raro.

Por outro lado, há alguns aspectos que fazem a turma do sofá (como bem referendou o comandante alvinegro) se sentir mais à vontade no conforto de casa do que no assento da arquibancada. Creio que quem vai ao Castelão já percebeu a dificuldade e o valor acima da média para a aquisição de bebidas. A alimentação também é outro fator que não agrada.

Não é à toa que os torcedores preferem ficar do lado de fora antes do início das partidas para poder consumir produtos que atendam à expectativa, seja de ingestão de líquidos (com ou sem álcool) seja de alimentos populares (cai duro, espetinho, sanduiches).

Há ainda o valor do ingresso. Na partida desta terça-feira, pelo Estadual, por exemplo, quem não é sócio torcedor, nem estudante, e pretende levar alguém para sentar num lugar agradável, pode gastar de R$ 100 a R$ 400 só para entrar no Castelão. Sem contar o consumo dentro da Arena e o deslocamento casa-estádio-casa.

Enfim, ajustar o horário das partidas para privilegiar o torcedor, que gosta de ir ao Estádio, é um grande passo para ver as arenas mais cheias, porém, são necessários outros passos à frente e aí dependem bem mais dos clubes do que das emissoras de TVs.

📸Wilton Hoots/CearáSC
📸Matheus Salvany/Terra