História Feita

De maneira surpreendente, heroica e épica, o Iguatu mostrou a verdadeira força do Interior. Eliminar um adversário do tamanho do Ceará, em 2 jogos, com disputa de pênaltis, atuando na cidade, com o apoio da torcida, em pleno sábado de carnaval são fatos que corroboram, fortalecem e potencializam o apelo de todos para que os Campeonatos Estaduais não sejam extintos.

Independente do que a elite deseja, prega e menospreza, não é aceitável admitir esse discurso de que os estaduais prejudicam os grandes. Na verdade, o que acontece é o beneficio aos pequenos, aos menos favorecidos. A classificação do Iguatu é só mais uma, entre tantas outras provas, de que o Interior precisa e clama para ser visto e principalmente reconhecido como verdadeiro potencial de amor e cultura pelo esporte mais popular do Brasil.

A festa na cidade, desde o início da classificação às quartas de final, culminada com a vitória histórica em cima de um clube da Série A do Brasileiro deveria ser tratada não apenas como um episódio isolado, mas, assim como foi com o Icasa e Guarany de Sobral nas 2 décadas passadas, como uma fonte natural de fomento, de vida e de muita paixão pelo futebol.

Claro que há problemas, claro que é preciso reconhecer que há dificuldades de estrutura, mas pra quem nunca teve oportunidades, pra quem nunca soube o que é chegar perto da elite, de receber visibilidade, patrocinadores e imigrantes, desbancar um gigante e se apresentar como um Davi é para a partir de agora haver respeito e cuidado que o sucesso pode estar só começando.

Retomada Verde

No meio de um furacão em que deverá ser rebaixado para a Série B do Campeonato Cearense, o Icasa estreia na Copa do Brasil, nessa terça-feira, às 15h30, diante do Tombense, no Inaldão, em Barbalha. O Verdão do Cariri terá a difícil missão de esquecer o caos montado internamente depois da escalação irregular do lateral/zagueiro Leandro Mendes no Estadual. A semana promete para os dirigentes do Icasa já que o julgamento desse episódio acontece já nesta quinta-feira, 3 de março, de forma virtual, pela 2ª Comissão Disciplinar do TJDF.

Cacique Pequeno

Enquanto o Iguatu fez história ao eliminar o Ceará, o Pacajus também tem uma enorme chance de entrar para os anais do Campeonato Cearense. Na quarta-feira, 2, vai enfrentar o Fortaleza, no jogo de volta das quartas de final. No entanto, diferentemente do Azulão das Lagoas, a equipe do Vale do Caju aceitou a oferta da diretoria tricolor para tirar o jogo do Ronaldão, em Pacajus, e levar para a Arena Castelão. Segundo o Blog apurou, o Fortaleza pagou alto em torno de R$ 50 mil. Ou seja, se o desafio era gigante, com essa se tornou ainda maior. Sem esquecer que na partida de ida, o Leão venceu por 1×0 e joga pelo empate. O Pacajus precisa vencer por 1 gol de diferença para levar para os pênaltis ou 2 gols (ou mais) para se classificar de forma direta.

De Camarote

O Caucaia, que só observou e gostou do que aconteceu no duelo entre Iguatu e Ceará, vai pegar o Azulão nas semifinais. A Raposa, assim como qualquer torcedor ou desportista, imaginava que enfrentaria o time alvinegro. Porém, com a surpresa, a equipe do técnico Roberto Carlos quer redobrar os cuidados e manter o mesmo foco de respeito para também não ser surpreendida. O desejo de chegar a uma inédita final de Campeonato Cearense só aumenta e para isso precisa superar o Iguatu. Vale lembrar que na 1ª fase, o Caucaia enfrentou o rival duas vezes: venceu por 2×1 no Morenão e empatou por 0x0 no Ronaldão.

Coluna Força do Interior Nº 7

📸João Mário/ADIguatu
📸Pedro Chaves/FCF
📸Amorim Fotógrafo
📸Instagram/Pacajus