Há pouco mais de 2 semanas, este Blog alertou que a Arena Castelão começaria o Brasileirão com o gramado mais utilizado entre os clubes da elite nacional. E logo na 2ª rodada, as críticas (muitas delas de forma dura) já explodiram por todos os lados.

Jogadores, treinadores, comentaristas de TV e até o árbitro Raphael Claus (Fifa/SP), que apitou Ceará 1×3, relataram sobre a dificuldade do piso do Castelão. Já são 23 partidas realizadas em menos de 80 dias. Sem contar as chuvas que caíram em Fortaleza por 40 dias consecutivos, muitas vezes acima do normal.

Dessa forma, não há gramado no mundo que consiga suportar tamanha quantidade de partidas e a força da natureza com chuvas intensas e temperaturas escaldantes intermitentes. E olhe que estamos apenas no início do Brasileirão, sem esquecer que haverá duelos pela Copa do Brasil, Sul-Americana e Libertadores.

Não há jeito de recuperar o gramado do Castelão com jogos a cada 7 dias ou menos. Vale destacar que, nesta semana, ou melhor nos próximos 10 dias (17 a 27 de abril), serão 5 jogos. Ou seja, 1 partida a cada 2 dias.

É preciso bom senso e principalmente união de todos os envolvidos não apenas para que os jogos sejam realizados em um campo com condições adequadas, mas até para a imagem do futebol cearense.

O comentarista do Sportv, o ex-jogador Petkovic, ironizou o gramado da Arena ao chamar de “Castelão ou Castigão?” Ceará, Fortaleza, FCF, CBF e Secretaria de Esporte do Estado precisam buscar uma solução o mais breve possível.

Neste momento, não há outra alternativa se não o mesmo que foi feito com o Maracanã: Impedir a realização de jogos, parar por 90 dias e reformar o gramado colocando, se necessário, grama sintética.

Flamengo e Fluminense, que administram o Estádio no Rio de Janeiro, foram obrigados a jogarem em outros locais para que a reforma acontecesse. O Tricolor das Laranjeiras atuou em São Januário, o Rubro-Negro foi a Volta Redonda. Todo o sacrifício para que o campo ganhasse condições de receber a enorme demanda de partidas da temporada. O Maracanã ficou sem jogos de dezembro de 2021 a março de 2022.

Com a reabertura do Estádio Presidente Vargas, que está com gramado novo e em perfeitas condições, a solução seria mandar os jogos por lá.

O único problema, contudo, que muitos se apegam é devido à capacidade do PV, que é de 20 mil pessoas. Só que em meio ao caos de ver Ceará e Fortaleza padecendo por causa de um gramado ruim é preciso ter bom senso e saber lidar com o que é mais prejudicial: o futebol dentro de campo ou a receita dos jogos?

📸Divulgação/Arena Castelão News
📸Divulgação/Maracanã
📸Divulgação/Prefeitura de Fortaleza