Em 15 dias (de 03/04 a 17/04), o Fortaleza fez 5 partidas. Saiu de um Castelão lotado com o título da Copa do Nordeste (invicto) e ainda cheio de esperança e expectativa para estrear na tão sonhada Libertadores.

Mas nem o mais pessimista tricolor poderia imaginar uma sequência de 4 derrotas com apresentações ruins. E o elenco leonino e mais o técnico Vojvoda, que pareciam inabaláveis, perceberam que quando a bola não entra, a desconfiança aparece e a torcida cobra.

No entanto, o jargão de que o futebol é dinâmico pode ser mais uma vez comprovado. Em apenas 8 dias, o Fortaleza irá fazer 4 partidas. Todas na Arena Castelão. Poderá dar um grande passo para avançar na Copa do Brasil, conquistar o tetracampeonato Cearense e seguir vivo na Libertadores. Esse é um lado da moeda, há o outro, que nenhum tricolor quer conhecer.

Por isso, a dura maratona nestes 8 dias é tratada com enorme responsabilidade por todos no Pici. Apesar de os 3 adversários não serem considerados os mais difíceis até aqui, mas as partidas requerem extrema dedicação, empenho e margem de erro quase 0.

O 1º desafio é diante do Vitória/BA, no jogo de ida da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 19h (com transmissão do Sportv 2 e do Premiere). A volta acontece em 11 de maio, em Salvador. O rival baiano não chegou às finais do Estadual, não disputou a Copa do Nordeste e ainda vem de 2 derrotas na Série C, uma delas em casa para o Floresta. Ou seja, um adversário interessante para encarar e sair da crise.

Independente do momento que o clube passa não é nem preciso lembrar do peso que é a Copa do Brasil. Só nesta fase, o Tricolor já recebeu R$ 1,9 milhão e se avançar ganha mais R$ 3 milhões e ficará entre os 16 melhores da competição.

Na sexta-feira, às 21h30 (com transmissão da TV Jangadeiro), sem muito tempo pra descanso, joga a 1ª partida das finais do Estadual. E 2 dias depois, também sem relaxar, no domingo, às 18h30, a 2ª e decisiva partida. O adversário é o Caucaia, que tem seus méritos, foi a melhor equipe da Fase Inicial, eliminou o Iguatu nas semifinais, mas não joga de forma oficial há 40 dias. O elenco, inclusive ganhou folga e depois só depois de um bom período voltou aos trabalhos.

A diretoria da Raposa aguarda apenas esses 2 duelos para encerrar as atividades neste ano, já que o time garantiu vaga na Copa do Brasil e na Série D em 2023, por isso nem a Fares Lopes vai disputar. Ou seja, um adversário interessante para encarar, sair da crise e ainda conquistar o tão sonhado tetracampeonato cearense.

Pra fechar, na outra quarta-feira, dia 27, às 19h, o mais difícil desse quarteto de confrontos. Pela 3ª Rodada da Libertadores, recebe o Alianza Lima, que assim como o Fortaleza perdeu para River Plate e Colo-Colo. Ou seja, diante dos peruanos vai decidir a vida na competição internacional, ou para seguir sonhando com vaga ou se para ir às oitavas da Sul-Americana (o 3º colocado do grupo vai disputar o mata-mata na outra competição continental).

4 jogos, 8 dias e o dinamismo do futebol pode novamente aparecer. Resta saber se vai ou não levar o Fortaleza a encontrar o caminho das vitórias.

📸Mateus Lotif/FortalezaEC