Foto: Mário Kempes/Blog do Kempes

Em mais uma reviravolta surpreendente, o Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Estado do Ceará (TJDF/CE) mudou a decisão tomada há 15 dias de tornar sem efeito 4 partidas do Crato pelo Campeonato Cearense para agora aplicar W.O em todos os jogos do time no Estadual.

Com a nova decisão, a classificação da 1ª Fase pode sofrer alterações, já que o Maracanã ganharia os pontos obtidos pelo Crato e ultrapassaria o Iguatu. Com isso, alteraria os times classificados às quartas de final, modificando completamente a tabela.

O que impressiona na surpreendente mudança é que ao invés de satisfazer o equilíbrio, buscar um entendimento e fazer Justiça, a sensação é que a decisão quis provocar mudanças profundas e manchar o campeonato. Se não bastasse, o Tribunal pareceu, desde o início deste imbróglio julgamento sobre a suposta manipulação de resultados, não ter gabarito ou competência para julgar.

Não mandou parar o certame quando apareceram os primeiros indícios, só se manifestou a primeira vez depois de um pedido da Federação para anular um jogo (Ferroviário x Crato), mandou suspender o Campeonato no meio de uma semifinal e ainda com a data errada no documento, teve de recuar da suspensão por força da instância superior, marcou julgamento na antevéspera da final da competição, quis julgar o processo sem o relatório final, não fez o básico de intimar os advogados de defesa, não colocou nos autos o inquérito… entre outras bizarrices, que mancharam a própria imagem do Tribunal.

Para completar, as transmissões exibidas das últimas audiências mostraram integrantes do Pleno do TJDF sem conhecer a Lei, perdidos com normas técnicas, sem saber o que fazer e muito mais preocupados em tentar desqualificar o Campeonato do que em arbitrar o que deveria ser o correto para o bem do futebol.

Isso torna inadmissível para um Tribunal, recheado de doutos advogados, juristas e pessoas do bem, que pareceram querer transformar o Campeonato Cearense em uma questão clubística, vestindo camisas e levando muito mais em conta o desejo de macular do que necessariamente reparar as infrações cometidas pelos criminosos nesse escândalo de manipulação de resultados.

O futebol cearense vive seu momento mais extraordinário em mais de 100 anos de história, mas a toga parece querer aparecer mais do que a bola dentro de campo.