Foto: Carvalho Marques/Arena Castelão

A entrada do jovem Marcos Victor, de apenas 20 anos, como titular, após a saída de última hora de Messias, que sentiu um desconforto muscular no aquecimento, minutos antes da bola rolar e ainda por diante do Flamengo de Bruno Henrique, Gabigol, Everton Ribeiro e Arrascaeta, poderia ter trazido muitas preocupações para os alvinegros.

Mas foi justamente o contrário que aconteceu. O camisa 44 do Ceará foi imprescindível no empate por 2×2 contra os rubro-negros. Seguro, raçudo e muitas vezes até com uma técnica diferente dos companheiros, driblando e carregando a bola, contagiou a todos e pareceu dar aquela moral ao grupo de que era, sim, possível ir pra cima de um dos principais favoritos ao título do Brasileirão.

Marcos Victor, até mesmo nos lances de 1 contra 1, diante do badalado atacante Bruno Henrique foi vencedor. Segundo os dados do Sofascore, durante a partida, o defensor alvinegro fez 2 desarmes, 1 intervenção, travou 1 chute, 4 cortes e ganhou todos os 4 duelos em que foi submetido. Pra completar acertou 29, dos 30 passes em que deu (96,7% de aproveitamento).

O estilo zagueirão dos anos 80, com camisa por dentro do calção, chuteira preta, e ainda por cima magro, que foge dos padrões atuais, refletem o modelo de um atleta que deseja muito fazer história no clube.

A atuação deste sábado fez os companheiros e integrantes da comissão técnica irem abraçá-lo ao final da partida e celebrar não apenas o heroico empate, mas também a ótima atuação, que também teve o reconhecimento da torcida ao ovacioná-lo na saída de campo.