Depois dos fortes protestos na última quarta-feira, na vitória por 2×0, sobre o Tombense, pela Copa do Brasil, quando os jogadores e até o técnico Dorival Júnior fizeram um apelo para não acontecer mais durante a partida, a torcida do Ceará atendeu os pedidos.

Em nenhum momento, antes, durante e depois da partida contra o Flamengo, no empate de 2×2, nesse sábado, na Arena Castelão, os torcedores fizeram qualquer menção a criticar ou xingar a diretoria ou o presidente Robinson de Castro e também não vaiaram o time. Nem mesmo quando o placar estava 1×0 ou 2×1.

Pelo contrário, os alvinegros apoiaram e incentivaram até mesmo quando o time levou os gols. Vale destacar que o Ceará não contou com vários titulares: Luiz Otávio, Messias, Richard, Lindoso e Fernando Sobral), além da estrela do time, Vina, que saiu de campo com apenas 10min de jogo, após se machucar.

Aliás, o Camisa 29 do Vozão, se desentendeu com alguns torcedores atrás do banco, após ser vaiado e xingado por ter deixado o jogo. Inclusive, nas redes sociais, Vina deixou um recado pra essas pessoas.

Nas arquibancadas, contudo, a festa alvinegra foi enorme com o ápice no golaço de empate marcado pelo lateral Nino Paraíba, nos acréscimos.

O duelo desse sábado marcou ainda o maior público do Ceará na temporada e o maior do futebol cearense neste Brasileirão com mais de 52 mil pessoas presentes (52.003 pagantes e 52.139 no total), que geraram uma renda de R$ 2.446.271,00. No cômputo geral, é o 4º maior da competição:

1º) Flamengo 0x0 Palmeiras – 69.997 – 4ª Rodada
2º) Flamengo 0x1 Botafogo – 54.981 – 5ª Rodada
3º) Flamengo 3×1 São Paulo – 54.686 – 2ª Rodada
4º) Ceará 2×2 Flamengo – 52.139 – 6ª Rodada
5º) Atlético/MG x Internacional – 37.531 – 1ª Rodada