Fotos: Divulgação/SECEL

Depois de 2 anos, enfim, o Estádio Presidente Vargas vai ser reaberto. Praça esportiva mais cativante de Fortaleza, o PV foi fechado devido à pandemia, em março de 2020. Em seguida salvou inúmeras vidas ao se tornar hospital de campanha no combate ao COVID e por último passou por uma profunda reforma.

Agora, no próximo dia 21 de maio, sábado, está agendado para receber o duelo entre Ferroviário e Botafogo/SP, pela 7ª Rodada da Série C do Brasileiro. Curiosamente, foi o Peixe o último a atuar no Estádio, em 15 de março de 2020, pelo Estadual, ao bater o Pacajus por 1×0.

A reabertura do Estádio Presidente Vargas vai ajudar os clubes da Capital. Afinal, nos últimos 2 anos, Ferroviário, Atlético, Floresta e Tiradentes tiveram de mandar seus respectivos jogos na região metropolitana: Horizonte, Caucaia, Pacajus e Maranguape. Pois, Ceará e Fortaleza detiveram praticamente a exclusividade do Castelão. Mas alvinegros e tricolores também podem se beneficiar.

O Estádio Presidente Vargas tem capacidade para receber até 20 mil pessoas. Neste ano, por exemplo, Ceará e Fortaleza disputaram partidas no Castelão pelo Estadual, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro com um público menor do que a lotação do PV.

Afinal, daqui a pouco com o crescente número de sócios, nem a Arena Castelão vai comportar os associados dos clubes. Aliás, já há alguns setores nobres no Gigante da Boa Vista, em que os sócios não conseguem mais lugares, devido à capacidade.

Ou seja, com planejamento, organização e respeito aos torcedores (principalmente aos sócios), é possível atuar no “Pvzinho de açúcar” e dar, enfim, um descanso à Arena Castelão, que precisa urgentemente de uma reforma.

Localizado no bairro do Benfica (antigo Gentilândia) região central de Fortaleza, o PV tem algumas boas vantagens para ser o queridinho das torcidas: Uma delas é o transporte público. Os ônibus de praticamente todos os terminais passam próximo. Se não bastasse, há uma estação de metrô no Shopping Benfica, o que facilita ainda mais. Sem contar que é também uma região universitária com o centro de Humanidades da UFC pertinho e o IFCE em frente.

O PV também possui ainda um estilo alçapão ou caldeirão, quando está lotado. A sensação de estar muito próximo do campo provoca a ideia de poder influenciar nos times em campo, seja com apoio ao clube do coração, seja com vaiais aos adversários.

Infelizmente, o alambrado de vidro é talvez um dos poucos pontos de controvérsia do Estádio. Em jogos à noite, os refletores atrapalham a visão de muitos torcedores, assim como em partidas com o Sol ao entardecer dificultam o olhar do público para quem está nos degraus mais próximos.

Quem sabe numa próxima ocasião seja substituído por outro alambrado e assim satisfaça por completo os torcedores cearenses. Por outro lado, a nostalgia e principalmente as histórias de jogos inesquecíveis do PV levam esses mesmos torcedores a não abandonarem nunca.

Que seja um retorno para nunca mais fechar!