Foto: Fernando Ferreira/Ceará SC

Há cerca de 3 semanas, a torcida do Ceará fez um intenso e duro protesto contra a diretoria do clube durante a vitória do time diante do Tombense, por 2×0, pela Copa do Brasil, na Arena Castelão. As queixas alvinegras foram tão fortes, que o lateral Nino Paraíba e o técnico Dorival Júnior fizeram um apelo para não acontecer mais.

A torcida atendeu o pedido, não fez mais nenhum protesto. Pelo contrário, nos jogos seguintes no Castelão o apoio foi incondicional contra Flamengo e General Caballero. Já são 6 partidas invictas com 3 delas fora de casa: Santos (0x0) Independiente (0x2) e São Paulo (2×2).

Enquanto na Sul-Americana, o Ceará vive um momento mágico com classificação às oitavas de final e campanha histórica (6 jogos, 6 vitórias, melhor ataque e melhor defesa), no Brasileirão, o Vovô sofre sem vencer há 6 rodadas e amarga a antepenúltima colocação com apenas 6 pontos.

Ou seja, o que deveria ser motivo de preocupação para a diretoria, que sofreu com protestos recentemente, na verdade virou razão para buscar ainda mais apoio da torcida. Tanto que nesta terça-feira, no período da tarde, os dirigentes resolveram abrir o treino no Estádio Carlos de Alencar Pinto para o torcedor comparecer.

A atividade será a última antes do Clássico-Rei, dessa quarta-feira, no Castelão, às 20h30, em jogo atrasado 3ª Rodada do Brasileirão. A diretoria alvinegra sabe do momento em que o clube vive. Se vencer o Fortaleza, completará 7 jogos sem perder, afundará ainda mais o rival e de quebra ainda sai da Zona do Rebaixamento.

Vale lembrar, que o Ceará vai ser visitante no Clássico. Os alvinegros terão somente 30% dos ingressos à disposição (cerca de 18 mil lugares), por isso, o apoio no treino (também) será muito importante para o elenco e comissão técnica.