Foto: Felipe Santos/Ceará SC

No 1º dia no novo clube, Marquinhos Santos encontrou uma atmosfera toda a seu favor para estrear da melhor maneira possível como treinador do Ceará. Apoio incondicional da torcida, que lotou as arquibancadas do Estádio Vovozão, toda a diretoria presente, conselheiros, atletas da base e do time feminino compareceram em peso para prestigiá-lo.

Antes de ser aplaudido e ovacionado pelos torcedores, Marquinhos Santos chegou a Porangabuçu por volta das 13h e foi logo se reunir com a diretoria do clube em especial com o Presidente Robinson de Castro. Ganhou total liberdade para explanar suas ideologias e logo de cara a mentalidade vencedora causou ótimo impacto, muito mais do que na conversa por telefone, no final de semana, quando acertou a contratação.

Depois, a conversa com os jogadores foi sincera e bastante incisiva sobre uma filosofia de que o Ceará é grande e tem de pensar grande. Por isso, jogar pra frente, em busca da vitória, sabendo os limites e objetivos em cada partida também causaram uma boa impressão.

Mais tarde, já no campo, alguns atletas quiseram ter uma conversa em separado, a estrela do elenco, o meia-atacante Vina, foi um que falou bastante. Zé Roberto, Bruno Pacheco e Matheus Peixoto também bateram um bom papo com o treinador alvinegro.

Na atividade em campo, interrompeu, corrigiu, parou, orientou, Marquinhos manteve o esquema do seu antecessor com 3 volantes de ofício (Richardson, Richard e Fernando Sobral). Ou seja, o que vinha dando certo não precisou alterar.

Em seguida, o reconhecimento da torcida para fazer o trabalho com respeito e dedicação e pensando no melhor para o clube. Pra finalizar, uma coletiva bem sincera e com objetivos bem definidos: uma vaga na Libertadores.

Marquinhos Santos também confessou que no passado errou ao deixar um clube no meio da competição e se transferir para outro time. Garantiu que aprendeu com o erro e prometeu não fazer mais. Chegou e quer continuar no Ceará para fazer história. Que assim seja.