Depois de ser retirado de pauta no julgamento anterior, em 23 de maio, quase um mês depois, enfim, o STJD marcou uma nova audiência para resolver de uma vez por todas a conclusão, na esfera jurídica, do Campeonato Cearense de 2022.

O Pleno do Tribunal irá julgar em sessão plenária virtual, nesta quinta-feira, 23, a partir das 11h, através da plataforma zoom, os casos envolvendo a suposta manipulação de resultados do Crato no certame e as decisões tomadas pelo TJDF/CE.

Apesar da sessão remota, o Fortaleza estará presente na sede do Tribunal, no Rio de Janeiro, com os advogados Eduardo Salles e Osvaldo Sestário, além do diretor jurídico do clube, Germano Palácio, de forma virtual. A Federação Cearense de Futebol também enviou representantes ao Rio de Janeiro e contará com Mauro Neto e Eugênio Vasques, do jurídico da entidade.

 O auditor Dr. Felipe Bevilacqua de Souza, após conceder efeito suspensivo aos clubes e à FCF e deixar claro em sua avaliação que “os vícios formais ainda se perpetram, carecendo de cautelosa e profunda análise os fatos e medidas aplicados no Tribunal local por esta Corte”, será o relator do processo.

Assim, se espera que a instância superior tome uma decisão adequada para o destino do Campeonato Cearense. Pois, pela resolução do TJDF/CE, o Estadual ainda não foi homologado, o Crato deve ser excluído da competição e todos os jogos da agremiação serem aplicados W.O.

O Campeonato Cearense de 2022 terminou com o Fortaleza fazendo a final contra o Caucaia e se tornando tetracampeão. Crato e Atlético/CE foram rebaixados para a Série B Estadual em 2023. O Iguatu ganhou a vaga para a Série D do Brasileiro do próximo ano.

O certame ainda teve o Ferroviário, que conquistou vaga para a Copa do Brasil de 2023, o Caucaia foi o campeão do Interior e também levou as vagas para disputar a Série D do Brasileiro e da Copa do Brasil na próxima temporada.

Entenda o Caso

Antes da última rodada da 1ª Fase do Campeonato Cearense, o TJDF atendeu a um pedido da FCF e suspendeu o Crato de todas as competições organizadas pela Federação. A entidade apresentou relatórios da empresa Sportradar.

“Tais relatórios ensejam gravíssima constatação de manipulação de resultado, envolvendo a agremiação do Crato Esporte Clube, possivelmente por seus dirigentes e atletas e, que, na data de hoje, 16/02/2022, ocorrera uma partida envolvendo tal agremiação contra a agremiação Atlético Cearense onde salienta-se que a equipe do Crato Esporte Clube fora derrotada pelo elástico e inacreditável placar de 9×2, o que, por si só demonstra flagrante indício de manipulação de resultados”, declarou o presidente do Tribunal, Frederico Bandeira à época. Com isso, a partida diante do Ferroviário, pela última rodada não aconteceu e o Peixe ganhou o jogo por W.O.

Com isso, Icasa e Maracanã entraram com pedido no TJDF para que o Crato fosse excluído do Campeonato Cearense e assim pudessem se beneficiar com a saída do Azulão da Pricesa.