Em entrevista ao portal NE45, o presidente em exercício da Liga do Nordeste, Alexi Portela, informou que a entidade trabalha com a ideia de já nas quartas de final utilizar o VAR.

Em pelo menos um jogo em todas as seis rodadas até aqui da Copa do Nordeste, aconteceram erros decisivos que decidiram o placar e até o resultado da partida. No duelo Sport 1×1 4 de Julho, os dirigentes do Sport chegaram a invadir o campo para protestar contra o trio de arbitragem, por causa da anulação de dois gols. Inclusive, o diretor da arbitragem da FCF, Paulo Sílvio, reconheceu o erro.

“Nós estamos estudando para ter o VAR já a partir das quartas de final. É bem provável que tenha. Esse ano, assim como foi em 2020, já está certo para os jogos da final. Mas queremos ter também nas quartas e nas semifinais”, declarou Alexi Portela.

De acordo com o dirigente, ano passado, os representantes dos clubes envolvidos com a Copa do Nordeste haviam “meio que acertado” que para edição de 2021 a arbitragem de vídeo poderia ser usada a partir da fase mata-mata. Em 2020, o VAR só foi usado nas partidas finais entre Ceará e Bahia.

Portela reconheceu que nesta temporada os erros da arbitragem estão recorrentes e que o nível está abaixo de outros anos.

“Claro que esses erros são ruins. Mas não só para a Copa do Nordeste, como para todas as competições. Claro que a gente fica preocupado e já conversamos com a CBF e com os próprios árbitros para não termos tantos erros assim. Com certeza o nível hoje está um pouco abaixo do que desejamos”, disse Alexi, que completou.

Vale ressaltar que o custo do VAR, por partida, é próximo dos R$ 50 mil. Nas finais de 2020, o custo foi bancado pela CBF. Para esta edição, a Liga do Nordeste vai novamente pedir à Confederação. Caso não seja atendido, é possível que os próprios clubes banquem todas as despesas.

📸Lucas Figueiredo/CBF