De abril de 2020 a março de 2021, o Ceará teve de liquidar R$ 9.815.000,00 no pagamento de 48 transações a empresários ou agentes de atletas realizadas nas contratações ou renovações de vínculos de jogadores. O montante pode ser conferido no relatório anual divulgado pela CBF.

O documento lista todos os pagamentos registrados pela Diretoria de Registro, Transferência e Licenciamento da CBF.

Esse valor é 5 vezes maior do que o declarado no mesmo período de 2019 a 2020, quando o Ceará fez o pagamento de R$ 1.970.000,00 a empresários ou agentes de jogadores em 21 negociações realizadas nas contratações ou renovações de vínculos de atletas e treinadores (Adilson Batista e Enderson Moreira estão incluídos).

No Relatório de 2021, a CBF coloca o Ceará como o 6º clube do Brasil a fazer mais remunerações a intermediários (empresários ou agentes de atletas). O clube alvinegro fica atrás somente de Internacional, Atlético/MG, Flamengo, Corinthians e Grêmio.

Contratações de peso, títulos, estabilidade financeira, bom pagador e reconhecimento do mercado. O momento do Ceará é auspicioso e ao mesmo tempo ousado. O Presidente do clube, Robinson de Castro, já anunciou que pretende tornar o time o maior do norte-nordeste e ainda projeta ganhar um título da Série A ou da Copa do Brasil até 2030.

Confira a lista com os 10 primeiros:

  1. Atlético/MG R$ 28.875.790,38
  2. Internacional R$ 19.812.982,00
  3. Flamengo R$ 14.201.433,05
  4. Corinthians R$ 18.395.930,00
  5. Grêmio R$ 9.939.381,00
  6. Ceará R$ 9.815.000,00
  7. São Paulo R$ 7 .173 .960,00
  8. Fluminense R$ 7.146.258,50
  9. Athletico R$ 6.376.706,86
  10. Palmeiras R$ 6 .322 .614,58

📸 Stephan Eilert/CSC

PS: O Presidente do Ceará, Robinson de Castro, entrou em contato com o Blog para informar que o relatório está correto. Mas fez uma ressalva. Ele afirmou que os pagamentos são feitos durante o tempo de contrato de cada atleta. Por exemplo, no caso do meia Lima. O valor do repasse aos agentes do atleta é feito em 3 anos.