Principal competição do País e prioridade dos clubes na temporada. Disputar (permanecer) o Campeonato Brasileiro está no topo dos objetivos dos times cearenses desde o início do ano. O planejamento e o objetivo seguem intactos, porém vai ser preciso uma pequena pausa nessa prioridade.

Ceará e Fortaleza farão na próxima quinta-feira, dia 10, às 19h, na Arena Castelão, o duelo de volta da 3ª Fase da Copa do Brasil. O empate no jogo de ida só acirrou os ânimos e aumentou ainda mais o sentimento de que a partida é tratada como uma decisão de campeonato.

Aliás, financeiramente, é muito maior que qualquer decisão já disputada pelos dois maiores rivais cearenses. Quem passar receberá R$ 2,7 milhões de premiação. Nunca antes na história, Ceará ou Fortaleza ganharam tanto dinheiro em um duelo entre ambos.

A bonificação da Copa do Brasil vai dar um alívio para tricolores ou alvinegros, que sofrem com a queda do número de sócios (atualmente o Ceará tem pouco mais de 15 mil, enquanto o Fortaleza está com 12 mil) e a falta de bilheteria. R$ 2,5 milhões (limpo e seco já descontado dos impostos) é cerca de 3 meses de receita do programa de sócio.

Se não bastasse todo esse montante para robustecer os bolsos, o duelo na Copa do Brasil ainda é cercado pela rivalidade centenária e que nos últimos tempos vem crescendo ainda mais entre alvinegros e tricolores.

Em 2019, o Fortaleza ganhou a Copa do Nordeste e foi melhor time da Região na Série A e em 2020 disputou a Sul-Americana. O Ceará revidou e ano passado ganhou a Copa do Nordeste, foi a melhor equipe da região na Série A e nesta temporada participou da Copa Sul-Americana.

Ou seja, há uma disputa ano a ano pela hegemonia. Isso sem contar os títulos estaduais. O Tricolor venceu os últimos três (todos em cima do Alvinegro), enquanto o Vovô detém o maior número de taças do Cearense.

Neste sábado, pelo Brasileirão, o Ceará vai jogar na Vila Belmiro, diante do Santos (21h com transmissão da TNT e Premiere) e novamente vai com um time considerado alternativo sem desgastar as estrelas do elenco. O técnico Guto Ferreira já lamentou (assim como o Blog fez matéria antecipando isso) que no mês de maio, os alvinegros fizeram 15 jogos em 30 dias.

No lado do Fortaleza, domingo, a equipe encara o Internacional, 16h, no Castelão (com Globo e Premiere), e a expectativa é de que o treinador argentino também escale uma onzena (que palavra!) sem seus principais jogadores. Apesar de o elenco leonino ter tido um desgaste menor que o rival, mas pelo duelo da quinta-feira ser considerado uma decisão, a prudência é de poupar jogadores como Éderson, Titi, Tinga, Wellington Paulista, Matheus Vargas entre outros.

Para amenizar os efeitos de preterir essa rodada do Brasileirão, as respectivas vitórias contra times considerados mais fortes ajudaram na escolha de dar uma priorizada na decisão da Copa do Brasil. No entanto, quem entrar neste final de semana vai encarar santistas e colorados com a mesma seriedade que ocorreu contra gremistas e atleticanos, respectivamente.

A quinta-feira, dia 10 de junho, promete e muito para alvinegros e tricolores. Lembrando que quem vencer, por qualquer placar, avança, porém, em caso de novo empate, a vaga vai ser decidida nas cobranças de pênaltis. Como diria Galvão Bueno: Haja Coração!

📸 Arena Castelão News