A dificuldade da malha aérea no Brasil é um dos desafios dos clubes da Série A, que precisam praticamente atravessar o País no menor tempo possível entre uma partida e outra. Para amenizar o desgaste de tempo de voo, mudança de aeronave e espera em aeroporto, a diretoria do Ceará resolveu fretar um avião para levar a delegação a Salvador.

O grupo alvinegro, que no sábado passado estava em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, viajou em um voo exclusivo, direto e sem escalas até a Capital baiana. O objetivo é justamente dar um descanso maior aos atletas para o duelo importante contra o Bahia, quarta-feira, 19h, na Fonte Nova, em jogo atrasado do Brasileirão.

 “A gente sabe que a recuperação de um atleta é fundamental na performance dentro de campo. Chegamos aqui mais cedo, praticamente três dias antes do dia do jogo. Estávamos em uma cidade com clima bem frio. Chegar antes facilita a adaptação ao clima quente, nos dá tempo maior de preparação e descanso também”, disse o goleiro Richard ao site oficial do clube.

Na coletiva de imprensa, após o empate por 0x0 contra o Juventude, o técnico Tiago Nunes, reclamou do calendário e da logística do futebol brasileiro. Pois na quarta-feira, em Fortaleza, o time alvinegro enfrentou o Palmeiras, no dia seguinte teve de viajar ao extremo Sul do País, na sexta-feira treinar e no sábado jogar em Caxias.

O elenco do Ceará descansou o domingo e nesta segunda-feira treinou no período da tarde, no CT do Vitória. Nessa terça-feira, no mesmo horário e local, o time faz o trabalho de apronto para enfrentar o Tricolor da Boa Terra. Com 31 pontos em 27 partidas disputadas, o Vovô ocupa a 14ª posição e está apenas 3 pontos da zona de rebaixamento.

📸Felipe Santos/CearáSC