Se os empates na era Guto Ferreira eram considerados resultados ruins e a sensação era de que o time estava muito mais preocupado em não perder do que ganhar, com Tiago Nunes as igualdades persistem, mas o Ceará quer sair de campo com a vitória.

Foi o que aconteceu no 0x0 contra o Internacional, nesta noite de quarta-feira, no Castelão, no 1º jogo diante do torcedor, após o início da pandemia. O Ceará amassou a equipe colorada principalmente na etapa final, quando teve as melhoras chances, acertou uma bola no travessão e ainda viu o goleiro Daniel salvar com grandes defesas.

Se nos primeiros minutos, os gaúchos tiveram mais disposição e até mostravam mais força para chegar à meta alvinegra, depois dos 20 minutos, o Ceará se ajustou, neutralizou o adversário e teve as melhores chances da etapa inicial com Cléber e Vina.

No 2º tempo, até os 30 minutos, o domínio era do Ceará, com o Inter tentando escapar nos contra-ataques. Mas depois disso, os alvinegros dominaram a partida e mereciam o resultado positivo. Foram várias chegadas a área colorada com 10 finalizações, num total de 16, além de 9 escanteios.

Se não bastasse, a evolução técnica e tática do time foi clara. Toque de bola rápido, em direção ao gol, intensidade e principalmente jogando de forma vertical, em busca da vitória até o último minuto. As mudanças feitas na escalação por Tiago Nunes com as entradas de Igor (na lateral-direita), Marlon (no meio) e Airton e Cléber (no ataque) fizeram um Ceará jogar diferente, talvez, a cara do treinador: pra vencer.

Pra completar, jogadores que vinham se apresentando de forma comedida e muitas vezes com rendimento abaixo, mostraram seu verdadeiro valor: Luiz Otávio, Vina e Cléber foram os melhores em campo. Sem contar que Erick, ao entrar na etapa final, foi muito bem.

Quem sabe agora a primeira vitória como visitante no Brasileirão não aconteça justamente diante do líder do campeonato? o Atlético/MG, em Belo Horizonte, no próximo sábado.

📸Kely Pereira/AGIF/CBF